Vizinho que matou mulher diz que ela é que provocava com som alto

O homem acusado de matar a sua vizinha, Rosicléia Dimarafigo de Lourena, 37 anos, a tiros, na noite de sábado, se apresentou nesta segunda-feira na delegacia de Campo Mourão e confessou o crime.

No entanto, ao contrário do que foi repassado para a imprensa, ele afirma que quem “provocava” com som alto, era Rosicléia, e não ele.  Na delegacia, ele entregou também a arma usada no crime, um revólver calibre .38.

No interrogatório, falou de uma rixa antiga com a vizinha, por ela gostar de ouvir música com volume muito alto e com letras que utilizavam palavras de baixo calão.

No sábado passado, ao chegar do trabalho, relatou que a vizinha estava ouvindo novamente música com volume alto com os filhos, que são menores de idade. Ao ir até a casa dela e pedir para a vizinha diminuir o som, ele disse que foi hostilizado e ameaçado.

Se sentindo coagido, declarou que foi até sua casa, pegou a arma e atirou em Rosicléia. Ferida na cabeça, ela morreu a caminho do hospital, na ambulância do Samu. Após o crime ele fugiu, mas sabendo que estava sendo procurado, se apresentou espontaneamente, acompanhado de um advogado.

(Fonte: tasabendo.com.br)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*