Operação “Dona da Quebrada”: Polícia Civil apreende pistola e munições

Foto: Rafael Silvestrin/Tasabendo.com

Pelo menos 30 policiais civis cumpriram nesta madrugada dez mandados de busca e apreensão na operação denomnada “Dona da Quebrada”, visando tirar de circulação algumas armas  que eram usadas para efetuar disparos durante  festas realizadas por um grupo de pessoas, que  organizava os encontros por meio das redes sociais. A investigação começou após uma dessa festas ter sido realizada na Usina Mourão.

No dia da festa, com base em denúncias de que pelo menos 40 pessoas estavam aglomeradas no local, descumprindo as medidas de proteção ao coronavírus, e ainda fazendo disparos de armas, a Polícia Militar foi ao local e encaminhou um grupo de pessoas até a delegacia. No local, os policiais apreenderam ainda quatro armas, sendo duas pistolas 9mm, dois revólveres calibres 38, 46 munições deflagradas, dez celulares e dois papelotes de cocaína.

Por meio de vídeos, a Polícia Civil identificou algumas pessoas e a Justiça expediu dez mandados de busca e apreensão, em endereços na cidade de Campo Mourão e Janiópolis. A Operação “Dona da Quebrada”, foi presidida pelo delegado Anderson Sérgio Romão, da comarca de Mamborê.

“A denominação da operação se deu porque em um áudio, enquanto a pessoa atirava, tocava ao fundo um funke denominado ‘Dona da Quebrada’. Ou seja, a investigação concluiu que por meio de um grupo de WhatsApp, essas pessoas marcavam festa com consumo de drogas e disparos de arma de fogo, acreditando que a polícia nunca ia agir contra elas”, explicou o delegado.

No entanto, após a apreensão de algumas armas e drogas em uma dessas festas, na Usina, a investigação mirou esse grupo de pessoas. “A Justiça determinou a busca e apreensão e na madrugada de hoje houve o cumprimento, com buscas em dez residências e abordagem de dez pessoas. Uma arma foi apreendida, com 12 munições intactas, mas a investigação continua”, declarou Romão.

Os policiais fizeram as buscas em vários bairros e em um dos endereços foi aprendida uma pistola 765, com 12 cartuchos intactos. A arma foi encaminhada para a delegacia, pois apesar de possuir registro, o documento estava vencido. A operação ainda continua.

OBS: A reportagem foi atualizada e sofreu algumas alterações com a entrevista do delegado Anderson Sérgio Romão

(Fonte: tasabendo.com.br)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*