CASAL DE NAMORADOS VAI NA LOJA TROCAR PRODUTOS FURTADOS E ACABA PRESO

Um casal de namorados foi preso em flagrante na tarde desta quarta-feira (8) acusado de estelionato. A desempregada Aline Cristina Volpato, 25 anos, e o instrutor de autoescola Sebastião Roberto Nunes, 28 anos, foram surpreendidos pela polícia no momento em que tentavam efetuar mais uma troca de produtos na loja da Havan, no shopping Catuaí, em Maringá.
De acordo com informações da Polícia Civil, a dupla estava sendo monitorada pela gerência da Havan desde o dia 28 de maio. As inúmeras trocas de produtos, sempre do setor de confecções pelo de eletroeletrônicos, realizadas pelo casal despertaram as suspeitas dos funcionários.
Uma câmera de segurança da loja flagrou Aline furtando peças de roupas do estabelecimento. Habilidosa, ela rompia o lacre colocado por funcionários nas bolsas dos clientes como medida de segurança, guardava os produtos furtados no seu interior e recolocava o lacre.
Dias depois Aline e o namorado retornavam à loja para efetuar a troca, como fizeram no sábado (4). O casal esteve na Havan, deixou inúmeras peças de confecção – avaliadas em mais de R$ 2,8 mil – e disse que retornaria nesta quarta-feira para pegar o valor em eletroeletrônicos.
Quando os dois chegaram na loja, a gerência acionou a polícia que efetuou a prisão em flagrante. Aline e Nunes foram conduzidos à 9ª Subdivisão Policial (SDP) de Maringá, onde estão detidos. Ele negou a participação no golpe e ela disse que foi apenas um minuto de bobeira.
O casal afirmou ainda desconhecer a funcionária do setor de trocas que foi demitida sob suspeita de colaborar com os estelionatários. Ela teria facilitado a troca dos produtos ao não solicitar a apresentação da nota fiscal ? procedimento obrigatório para trocar produtos.
Na casa do acusado, localizada no Jardim América, os policiais encontraram R$ 6 mil em mercadorias de eletroeletrônicos. Além do vídeo, a loja apresentou como prova do golpe os códigos de barra das peças que teriam sido adquiridas pelo casal. Os códigos constam no sistema de controle da Havan, o que não acontece com produtos vendidos.

(Informações O Diário)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*