Após denúncia de agressões e ameaças, Rotam prende quatro pessoas e apreende armas, munições, rádios comunicadores, simulacro de pistola e placas de colete balístico em Vidigal

Quatro pessoas foram detidas pela equipe Rotam da Polícia Militar, na noite desse domingo (24), no distrito de Vidigal, em Cianorte. A ocorrência teve início por volta das 20h30, durante a Operação Ostensividade II.

A equipe ROTAM recebeu a informação via Central de Operações da 5ª CIPM de Cianorte de que uma pessoa haveria entrado em contato via 190 e informado que agentes de uma empresa de segurança estaria agredindo pessoas nas ruas do Distrito de Vidigal e que tanto ele quanto seu filho haviam sido vítimas, tanto de agressões, quanto de ameaças.

Ao chegar ao Distrito de Vidigal, a equipe localizou o solicitante e, ao ser indagado, ele informou que por volta das 19h30, seu enteado, um adolescente de 14 anos, na companhia de um amigo, outro adolescente de 15 anos de idade estariam se dirigindo para a igreja a pé, quando foram abordados por dois agentes de segurança privada, identificados posteriormente, tratando-se de um homem de 24 anos e outro de 43, os quais, sem qualquer justificativa ou motivo, passaram a desferirem tapas e empurrões nos adolescentes mandando-os embora.

O solicitante informou ainda que, ao tomar ciência do ocorrido, ele, juntamente com sua esposa, foram à residência dos proprietários da empresa, tratando-se de um homem de 27 anos e uma mulher de 39. Ao chegarem à residência foram recebidos pelos proprietários e pelo agente de segurança de 24 anos, onde o proprietário da empresa, ao ter conhecimento do motivo do solicitante estar ali, tomou o solicitante com as mãos em sua camisa e o ameaçou dizendo: “vou dar um jeito de dar um sumiço em você, pode esperar.”

Em ato contínuo, a mulher, moradora da residência, pegando em uma arma a qual estava em sua cintura ameaçou a esposa do solicitante dizendo: “vou colocar uma bala na sua cabeça se você não sair daqui”. Na ocasião, familiares do garoto de 14 anos também foram ao local a fim de apaziguar a situação. Ao chegarem à sede da empresa, o solicitante e sua esposa foram retirados do local pelos mencionados familiares em virtude do nervosismo e principalmente por estarem sendo vítima de diversas ameaças. Segundo as vítimas, os proprietários da empresa o homem e a mulher a todo o momento pegavam nas empunhaduras das armas que portavam na cintura realizando ameaças.

Diante dos fatos narrados, a equipe ROTAM deslocou ao endereço citado onde foram recebidos pelos moradores e pelos dois agentes de segurança. Ao serem questionados sobre os fatos, eles disseram que realmente agrediram alguns adolescentes nas ruas, em razão de que teriam sido xingados enquanto realizavam a ronda pela cidade.

Durante a abordagem na residência, outro grupo de moradores do distrito compareceu ao local e informou que também haviam sido agredidos pelos seguranças, tratando-se de três adolescentes, todos de 15 anos.

Segundo as informações destas duas novas vítimas, ambos estariam em uma praça do distrito esperando pelo terceiro adolescente, e que, em um determinado momento, perceberam a presença de dois seguranças da empresa de segurança privada, os quais passaram a dar tapas na face dos mesmos, mandando os adolescentes irem embora para casa.

Os policiais perceberam que, durante a narrativa dos adolescentes, o proprietário da empresa, o homem de 27 anos, adentrou em sua residência e permaneceu por algum tempo, ocasião em que foi visualizado por um integrante da equipe ROTAM de que o cidadão havia ido até os fundos de sua residência e saído por um portão traseiro, que dava acesso ao quintal o qual possuía uma tapera de madeira e um galinheiro.

Diante a suspeição e devido a todos os fatos narrados, foi solicitada a autorização para adentrar a casa e verificar a possibilidade de existência de armas de fogo, o que de pronto o proprietário autorizou, afirmando não possuir em sua residência nenhuma espécie de produtos ilícitos.

Durante as buscas em um cômodo externo da residência, foram encontrados uma placa de colete balístico; sete munições de espingarda calibre .28, sendo seis intactas e uma deflagrada; seis munições calibre .36, sendo cinco intactas e duas deflagradas; dois rádios portáteis sintonizados na frequência da polícia militar; e um simulacro de pistola de cor preta.

Na continuidade das buscas, dentro da residência, foi localizado uma caixinha contendo sete munições de calibre .22. Já na parte externa da casa, foram localizadas duas espingardas de calibre .28, sendo que uma estava no interior da tapera de madeira com a qual fora encontrados insumos para recarga de armas, sendo dois tubos de pólvora negra; dois frascos de espoleta; e um frasco de chumbo. Em um tambor de metal próximo ao muro, além da arma foi encontrado um bornal contendo cinco munições, sendo duas de calibre .38 e três de calibre .357. Já na residência ao lado da casa dos proprietários da empresa, a qual serve como alojamento aos seguranças da empresa, foram localizadas mais duas placas balísticas dentro do armário do quarto.

Diante dos fatos, todos receberam voz de prisão e foram encaminhados para 21ª Subdivisão de Polícia Civil de Cianorte para os procedimentos cabíveis.

(Fonte – Polícia Militar)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*