Operação Ostensividade II em Jussara termina com sete pessoas detidas e apreensão de arma, munição e drogas

Na noite dessa sexta-feira (15), Policiais Militares pertencentes a 5ª CIPM de Cianorte realizaram a Operação Ostensividade II, na cidade de Jussara. A ação contou com a participação das equipes Rocam, Trânsito, Rural, RPA e o CPU do dia. Durante os trabalhados, sete pessoas foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia de Cianorte e foram apreendidas uma espingarda, munições e drogas.

A primeira situação aconteceu durante uma abordagem a um bar, situado na Rua Paraná, sobre o qual recai diversas denúncias anônimas como ponto de venda de entorpecentes. Durante a abordagem, um rapaz de 20 anos foi submetido a busca pessoal, e quando indagado sobre ter passagem pela polícia ou ter em sua posse armas ou drogas, o indivíduo disse que não. No entanto, ao ser indagado se em sua casa haveria algum ilícito, este com aparente nervosismo disse que não possuía.

Diante das suspeitas, uma equipe se deslocou até a residência do suspeito, localizada na Avenida Dr. Gastão de Mesquita Filho, onde sua madrasta autorizou a realização de busca domiciliar, conforme autorização assinada. Ao primeiro contato a madrasta foi questionada sobre a presença de armas na casa, de pronto ela respondeu que haveria uma arma e que ela estaria em cima de um guarda-roupas em um dos quartos da casa. No local foi encontrada uma espingarda Rossi calibre .22, desmuniciada, assim como 32 munições calibre .22, acondicionadas em uma sacola plástica.

Quando questionada sobre o uso do guarda-roupa, respondeu que usava para guardar-roupas de cama, e que o referido abordado da situação também fazia uso para guardar objetos pessoais. Quando questionada sobre a propriedade da arma, esta disse que desconhecia.

Diante do flagrante, o rapaz foi conduzido para a 21ª SDP de Cianorte a fim de serem tomadas as providências cabíveis.

Já por volta das 23h50, as equipes realizaram uma abordagem em um estabelecimento da Rua Paraná, e com a aproximação das equipes policiais, dois indivíduos masculinos correram para o fundo da residência ao lado, sendo alcançados pela equipe e contidos, sendo um no quintal da casa ao lado e outro que havia pulado o muro em outro quintal.

Com a contenção realizada, as equipes procederam com busca pessoal, não sendo encontrado nada de ilícito ou irregular, no entanto, em revista ao perímetro, no quintal onde um dos indivíduos pulou, foi encontrado R$ 50,00 e duas porções de crack envolvidas em papel alumínio, prontos para a venda.

Os indivíduos foram identificados sendo ambos de 18 anos. Ao serem questionados o motivo pelo qual correram, informaram que estariam realizando o comércio de entorpecente de crack.

Na ocasião, foi solicitado a um dos abordados que desbloqueasse o celular, o qual o fez sem nenhuma coação física ou moral e, em vistoria, foi verificado diversas imagens de porções de crack e conversas de comercialização, e ao ser questionado quem seria o dono do entorpecente, os abordados informaram que seria de outra pessoa, este que esta atualmente estava preso em Cianorte, e que o dinheiro seria entregue a sua convivente.

Ao continuar com a verificação no estabelecimento, foi verificado que um dos abordados, um rapaz de 18 anos, conhecido pela equipe policial por tráfico de cocaína na cidade de Cianorte, tendo deixado a carceragem da 21ªSDP a poucos dias.

Em busca pessoal nada de ilícito foi encontrado, consigo havia a quantia de R$ 230,00. Ao ser questionado qual a origem do dinheiro, o suspeito não soube informar.

Diante da suspeita, foi solicitado à vistoria em seu celular, o qual foi concedido sem nenhuma coação física ou moral, e durante vistoria um contato do aplicativo whatsapp, de nome feminino, enviou mensagem questionando se a pessoa iria buscar sua “sintonia”. A mulher também é conhecida pela equipe por tráfico de drogas, e ao questionar o indivíduo, pois “sintonia” significa drogas, ele informou que havia deixado para solicitante algumas gramas de cocaína, não sabendo informar a quantidade.

Assim, foi dada voz de prisão para o indivíduo, visto que ele informou que a mulher estaria residindo na Rua Alvares Cabral. Dessa forma, a equipe deslocou ao endereço e fez contato com a moradora, uma mulher de 29 anos. Ela então, ao ser cientificada da situação, permitiu a realização de revista a sua residência e informou que a cocaína estaria em seu quarto, dentro do bolso de um de seus shorts.

No local citado, foi encontrado uma porção maior e uma menor pronta para a venda, que posteriormente totalizou seis gramas.

Diante dos fatos, os dois receberam voz de prisão e também foram encaminhados para a 21ª SDP de Cianorte para as medidas de Polícia Judiciária.

Na sequência, foi realizada abordagem a dois estabelecimentos situados na Rua Paraná, sobre os quais recaem diversas denúncias anônimas como ponto de venda de entorpecentes.

Enquanto as equipes procediam à abordagem, foi possível notar que algumas pessoas passavam por diversas vezes próximo ao local e que uma dessas pessoas, se tratava de uma mulher 19 anos. Cabe salientar que, momentos antes um individuo que estava sendo abordado por outra equipe policial, havia conversas com uma abordada solicitando 25 gramas de cocaína.

Depois de finalizada a abordagem, a equipe realizou buscas no intuito de localizar mais uma pessoa, sendo que a cidadã foi localizada na Rua Ozano Praxedes esquina com a Rua Paraná, junto com ela estava seu namorado, o menor de 15 anos. Com eles foi localizado duas porções da substancia análoga a cocaína, totalizando 0,5g, estando embaladas em um saco plástico de cor branca.

Diante disso, foi solicitado apoio de outra viatura que continha uma policial feminina para realizar a revista pessoal, devido a suspeita do envolvimento no tráfico, onde nada de ilícito foi encontrado.

Momentos antes da abordagem, uma mulher passou próximo ao local de abordagem, sendo possível visualizar que ela estava a todo o momento digitando algo no celular, sendo abordada posteriormente. Então foi solicitado a ela que desbloqueasse o celular, ato que realizou de forma espontânea. Foi possível visualizar a conversa no whatsapp com um contato com uma pessoa de nome feminino, mas que na verdade a pessoa que estava mandando as mensagens se tratava da pessoa de que se encontra preso, sendo possível reconhecimento por parte da equipe policial pela voz nos áudios e confirmado pela própria.

Diante dos fatos, a mulher e o menor foram conduzidos a 21ªSDP para lavratura do boletim de ocorrência e demais procedimentos de Polícia Judiciária.

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*