Mulher assassinada em Goioerê no réveillon pode ter sido torturada

Lucélia Souza Chagas, de 42 anos, que foi assassinada com dois tiros na madrugada do dia 1º de janeiro, na chácara onde morava, às margens da rodovia BR-272, em Goioerê, pode ter sido torturada.

Segundo o delegado de polícia de Goioerê, Hélio Nunes Pires, o que levanta essa suspeita é o fato de a vítima estar com a boca amarrada com uma sacola plástica.
Essa hipótese, contudo, somente poderá ser confirmada após a prisão ou apresentação do suposto autor do homicídio, o ex-genro de Lucélia, Rodrigo Chaves, que está desaparecido desde o dia do crime e é considerado foragido da justiça.
O delegado Hélio Pires espera, mas não acredita, que Rodrigo Chaves se apresente para dar a sua versão dos fatos. Ele pondera que pelo tempo que se passou, o suspeito pode estar longe de Goioerê e dificilmente será encontrado pela polícia na região de Goioerê, onde é procurado.

(Fonte: goio.news)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*