Em Cianorte, sarau marca comemoração ao Dia Nacional da Luta Antimanicomia

l

Durante o encontro, os presentes fizeram uma “viagem pelo túnel do tempo” dos tratamentos de transtornos mentais

Em comemoração ao dia 18 de maio, Dia Nacional da Luta Antimanicomial, a Prefeitura, por meio dos profissionais dos Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS e CAPSi), da Secretaria Municipal de Saúde,  realizou diversas atividades para lembrar o movimento que busca a garantia de direitos das pessoas em adoecimento psíquico. A data foi marcada por um “Sarau Antimanicomial”, que foi prestigiado por servidores da Secretaria, escolas, familiares, e a comunidade em geral. A luta enfatiza que, como todo indivíduo, estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade e à vida em sociedade, além do direito a receber cuidado e tratamento sem que, para isto, tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos.

Na oportunidade, os presentes foram recepcionados com apresentações musicais e teatrais, e declamação de poesias. Para encerrar, o público fez uma “viagem” pelo túnel do tempo do tratamento psiquiátrico. “Os portadores de transtornos mentais, por muito tempo, tiveram negado o seu convívio social, sendo submetidos a tratamentos degradantes em manicômios. Felizmente, com o movimento, as atrocidades foram denunciadas e houve uma grande evolução, com a reinserção social dos pacientes”, comentou a chefe da Divisão de Saúde Mental, Thaise Dantas.

“Compreender, acolher e cuidar, são as melhores soluções para que a pessoa que sofre com os transtornos melhore, e isso deve ocorrer, dentro do ambiente em que ela vive”, ressaltou a secretária municipal de Saúde, Michelly Poliana Viguiato Pricinotto. “Quando o prefeito Bongiorno autorizou a criação dos CAPS, muitos disseram que ele estava criando um problema para sua administração, mas ele estava determinado, e quem ganhou com isso foi a nossa população”, concluiu.

Em um momento de descontração, o prefeito Bongiorno foi convidado a participar das apresentações musicais. “Esta é uma oportunidade de reafirmarmos o compromisso com esta causa, de colocar fim às internações compulsórias e instituições manicomiais. É possível tratar o paciente com transtorno mental sem isolá-lo do restante da sociedade”, destacou o prefeito. “Os CAPS adulto e infantojuvenil buscam oferecer um tratamento humanizado, terapêutico, com oficinas, atividades de socialização e outras ferramentas para o bem-estar e qualidade de vida aos usuários dos serviços”, finalizou.

(Fonte: Assessoria de Comunicação)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*