Governo Federal deve assumir a duplicação da PR-323, que será pedagiada

A rodovia PR-323 agora será federal. O Governo do Estado devolveu a rodovia ao Governo Federal após duas décadas de indefinição da tão esperada duplicação. A obra, todavia, será feita sob regime de pedágio.

Desde 2013 existe a tramitação do processo para que a pista deixe de ser simples. Em princípio haveria uma parceria público-privada para que as obras fossem iniciadas, no entanto, devido ao envolvimento da Odebrecht com esquema de corrupção apurado pela Lava-Jato houve o cancelamento. Assim, apesar dos inúmeros anúncios nos últimos anos, os moradores do noroeste ainda sofrem pelas más condições da 323 entre Maringá e Francisco Alves.

Conforme reportagem da Gazeta do Povo, o Governo Federal estima que a licitação para as obras seja feita somente em 2021. Neste momento serão desenhados estudos para que o edital seja publicado com embasamento. Também serão realizadas – mais uma vez – audiências públicas nos municípios que são cortados pela 323.

Após esse processo, o edital ainda passa pelo crivo do Tribunal de Contas da União (TCU) e aí segue para a concorrência internacional que pode levar 100 dias.

Avaliação positiva

Para a Comissão pela Duplicação da rodovia PR-323 o fato é positivo. “Estamos com uma expectativa boa, porque o Governo Federal tem projetos maiores. É preciso que haja seriedade, mas com a finalização do trâmite, as tarifas de pedágio podem ser até mais baratas já que existirá também uma concorrência internacional”, salienta o presidente Sérgio Frederico.

Apesar da delonga para 2021, a Comissão também entende que é plausível aguardar. “Segundo o atual Governo do Estado tudo o que foi feito nos períodos anteriores não vale mais. Então já seria realmente necessário refazer todos os estudos. Alguns trechos já estão em obras e para nós esta foi uma notícia fantástica”, explica.

Em fevereiro o governador Ratinho Jr. esteve em reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em Brasília, onde ficou definida a questão da devolução da 323 para a União.

“A decisão de trabalhar as futuras concessões em conjunto com a União vai agilizar o processo. A Caixa Econômica Federal já tem um trabalho bem adiantado de concessões de rodovias em âmbito nacional, incluindo o Paraná”, disse o governador.

(Fonte: Obemdito.com.br)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*