MEC corta R$ 48 milhões da UFPR e pode inviabilizar universidade


O bloqueio de verbas anunciado pelo MEC representou a perda de R$ 48 milhões para a Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 2019. O corte já foi aplicado e pode levar à interrupção das atividades da universidade no segundo semestre. Outras universidades já falam em paralisar as aulas por falta de condições de trabalho.

A UFPR foi alvo, assim como todas as instituições federais de ensino superior, de um bloqueio de 30% de suas verbas de custeio. Isso significa dinheiro para pagamento de água, luz, telefone, passagens, alimentação, contratos de terceirizadas responsáveis por limpeza e vigilância, entre centenas de outros serviços essenciais para o funcionamento da instituição.

Os cortes não afetam a assistência estudantil – o que significa que, das outras verbas, foram afetadas 37%, pouco mais de um terço do total. O corte se dá sobre um orçamento que já vinha sendo reduzido nos últimos anos.

Desde 2016 não há reposição da inflação no orçamento da UFPR. Além disso, em 2017 já houve um corte no custeio que levou a Reitoria a pedir que todos os setores fizessem economia. Não se sabe quanto mais é possível cortar sem que as atividades sejam paralisadas.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, começou a anunciar os cortes na semana passada. Inicialmente, apenas UnB, UFF e UFBA estavam na lista de contingenciamento, supostamente por terem promovido “balbúrdia”. Alertado de que a seletividade do corte poderia lhe gerar um processo por improbidade, Weintraub determinou corte em todas as 63 federais, de 30%, e alega falta de dinheiro.

(Fonte – Site plural via Ascom ZD)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*