Casal é preso após ‘rapto’ da própria filha

Ação ocorreu na tarde deste sábado em Maringá/ Foto – Conselho Tutelar

Um casal foi preso pela Guarda Municipal (GM) de Maringá no início da tarde deste sábado, 9, após ‘raptar’ a própria filha. Segundo o Conselho Tutelar, a criança de dois anos estava sob os cuidados dos avós e os pais – que perderam a guarda da menina em Ibiporã por uso de drogas – trouxeram a criança para Maringá.

A ocorrência começou ainda na noite de sexta-feira, 9. O pai da criança – que estava trabalhando como flanelinha no Centro – foi abordado pela polícia. Ele estava com um cigarro de maconha. Durante a abordagem, a polícia soube que ele estava com a companheira, mãe da menina de dois anos. Neste sábado, GM localizou a mãe – uma adolescente de 17 anos grávida de sete meses – e a criança de dois anos.

“A criança foi raptada em Ibiporã e os pais vieram pra Maringá. A criança estava numa situação de risco aqui”, descreveu Carlos Bonfim do Conselho Tutelar. Como não tinham mais a guarda, o Conselho e a GM encaminharam a mãe o pai e a criança para a 9ª Subdivisão Policial (SDP) de Maringá. Os avós que têm a guarda da menina vieram até Maringá para levar a criança de volta para Ibiporã.

O pai será ouvido pelo delegado de plantão e deve responder ao crime de subtração de incapaz porque mesmo sem ter a guarda é o pai biológico da menina.Ele cometeu o crime de “subtrair menor de dezoito anos ou interdito ao poder de quem o tem sob sua guarda em virtude de lei ou de ordem judicial”, previsto no artigo 249 do Código Penal. A pena prevista nesse tipo de crime é de detenção, de “dois meses a dois anos, se o fato não constitui elemento de outro crime. No caso de restituição do menor ou do interdito, se este não sofreu maus-tratos ou privações, o juiz pode deixar de aplicar pena”.

 (Fonte: www.odianacidade.com.br)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*