Mudança de velocidade máxima na PR-323 gera multa e indignação dos condutores

Foto: Portal da Cidade Cruzeiro do Oeste

Umuarama – Motoristas que estão trafegando pela rodovia PR-323 – entre Cruzeiro do Oeste e Umuarama – se mostram indignados com a aplicação de multas, após redução da velocidade máxima da rodovia de 110 km/h para 100 km/h. Conforme os entrevistados, a falta de comunicação para a comunidade a respeito da alteração e o maior problema.
Em relação ao questionamento dos leitores, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) informa, ontem, por meio de nota, que iniciou a substituição de toda a sinalização vertical da PR-323 entre Maringá e Francisco Alves. Já as alterações de velocidade na rodovia atendem à Deliberação nº 106/2016 do DER-PR, com base nas orientações da lei 13.281, de 4 de maio de 2016, que modificou a lei 9.503 (Código de Trânsito Brasileiro).
A mudança no artigo 61 do CTB, entrou em vigor em 1º de novembro de 2016 e reduz o limite de velocidade em rodovias de pista simples a 100 km/h para automóveis, camionetas e motocicletas e a 90 km/h para os demais veículos. Por isso, nos trechos onde o limite informado é de 100 km/h, significa que as placas já foram trocadas. Mas onde ainda há placas informando limite de 110 km/h, a substituição da sinalização ainda será feita na sequência dos trabalhos.”
A situação na PR-323 deixa os condutores confusos, pois a via da pista sentido Umuarama a Cruzeiro do Oeste não foi identificado nenhuma placa de limites de velocidade. Porém de Cruzeiro para Umuarama, duas placas foram colocadas, sendo uma após o posto da Polícia Militar Rodoviária e outra no trevo de Lovat.
Conforme a professora universitária, Ana Lúcia Ribas, ela trafega todos os dias pela rodovia e no dia 24 de junho deste ano recebeu uma multa de R$ 130,00 por trafegar a 105 km/h. Ana achou estranho a notificação, uma vez que não sabia da mudança da velocidade permitida na rodovia. “Muita gente deve estar levando multa. Do outro lado da via não tem placa informando a velocidade, como o motorista se porta em uma situação dessa? Ninguém informou a comunidade a respeito desta mudança”, disse.
Outros leitores também questionam a aplicação de multas na rodovia sem uma ação informativa por parte das autoridades do setor.

(Fonte:  www.ilustrado.com.br)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*