Campanha de vacinação contra Sarampo e Paralisia Infantil começa segunda-feira

Não permitir que doenças como Sarampo e Paralisia Infantil voltem a preocupar o país novamente. Com este objetivo, de 6 a 31 de agosto acontece em todo o Brasil, a Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo. O público alvo são crianças com idade entre 12 meses e menores de 5 anos, incluindo as que já receberam as vacinas anteriormente. O dia “D” da campanha está marcado para 18 de agosto. A meta é vacinar ao menos 95% das crianças dessa faixa etária.

Em Cianorte, as doses estarão disponíveis em todas as unidades de saúde, inclusive nos distritos de São Lourenço e Vidigal, das 8h às 17h. Para facilitar o acesso à população, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, definiu que nos dias 07 e 09, e durante a semana do dia “D”, de 13 à 17, o atendimento terá horário especial, se estendendo até as 19h. Já no sábado (18 de agosto), todas as UBSs estarão atendendo das 08h às 17h, sem interrupção para o almoço. A vacina só é contraindicada para gestantes.

“Devemos superar a cobertura vacinal, acima de 95% da população-alvo, pois só assim, conseguiremos evitar que novos casos de sarampo apareçam no país, e impedir a reintrodução da poliomielite. O Brasil já registrou casos de sarampo em seis estados. Não podemos deixar que a doença continue avançando. Por isso, os responsáveis pelas crianças entre 1 ano e menores de 5, devem aproveitar a campanha nacional e vacinar seus filhos”, ressaltou a chefe da Divisão de Prevenção em Saúde, Heloísa Dantas. “A apresentação da carteirinha de vacinação é de fundamental importância para que as doses sejam aplicadas. Os adultos também devem comparecer munidos do documento, e se necessário, receberão a dose contra o sarampo. Não dê ouvidos a boatos, a vacina é segura”, completou.

SARAMPO: No ano de 2016, a Organização Mundial de Saúde declarou a região das Américas área livre da doença. Mas em 2018, o vírus voltou a circular em 11 países. Na América do Sul, a Venezuela é o país com maior incidência da doença, com 85% dos casos, e devido à crise financeira e política, milhares de venezuelanos têm ingresso no Brasil em busca de abrigo, o que pode ter ajudado a disseminar a doença. No Brasil, já há registros da doença no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Rondônia e Amazonas.

A recomendação é que as pessoas com até 29 anos de idade tenham em sua caderneta 2 doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Já quem tem entre 30 e 49 anos deve ter na caderneta de vacinação 1 dose da vacina tríplice viral. Se a pessoa não tiver tomado as doses recomendadas, ou não souber se tomou ou não, a indicação é procurar uma unidade de saúde para receber orientações.

Com informações da Secretária Estadual de Saúde (SESA)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*