Paranaense é condenada à prisão acusada de exploração sexual de mulheres na Argentina

A goioerense Celia Aparecida Moreira Pinheiro, 40 anos, foi condenada a sete anos e seis meses de prisão por exploração sexual de outras mulheres na cidade de Tinogasta, na Argentina. Ela cumprirá prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, até a realização de um novo julgamento, provavelmente no mês de agosto.

Célia mora a muito tempo na Argentina e a suposta exploração de mulheres aconteceu na Whiskeria La Torre, há mais de cinco anos.

Em sua defesa, Célia alegou que trabalhava na Whiskeria, como encarregada, e quando o dono morreu, tocou o estabelecimento junto com outras mulheres, mas não as explorava sexualmente. Ela se declarou inocente.

“Montamos uma sociedade de mulheres e dividíamos o dinheiro, sem exploração” – contou Célia no Tribunal. A defesa, contudo, não foi suficiente para evitar a condenação.

 (Informações e foto: www.goionews.com.br)

Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*